O Contexto Web Mudou!!!

28 08 2010

por Maria Fernanda e Ricardo Palma

Boa noite a todos! Estamos aqui neste final de sábado para dizer que nós mudamos de endereço! Estamos com novo design, novos colaboradores e a qualidade de sempre! O novo site é o www.webcontexto.com.br. Passe por lá, leia nossos artigos e deixe seu comentário. Nos vemos lá! www.webcontexto.com.br

www.webcontexto.com.br


novo blog

Anúncios




4 motivos que explicam a eficiência das MÍDIAS SOCIAIS

19 08 2010

Por Maria Fernanda

Primeiramente, gostaria de agradecer o acesso recorde de ontem. Obrigada!

Nosso assunto de hoje é um artigo publico por Sarah Hartshorn no blog americano SocialMediaToday. Adaptei o artigo e fiz algumas modificações. Sintam-se à vontade para corrigir meus erros ou comentar!

1. O ser humano possui uma forte necessidade de interagir com outros seres humanos

A constação acima é um fato, pois essa basicamente é a razão de sucesso das mídias sociais nos últimos anos. As marcas conseguem fidelizar e identificar suas imagens de maneira muito simples e de baixo custo. As pessoas compartilham informações de graça – facilitando o nosso trabalho de análise. Ainda não está convencido? Que tal os dados desta pesquisa então: 4,3% dos usuários do Facebook e 2,3% dos usuários do Twitter saíram dos sites destas redes sociais e foram para o site um grande varejo!

2. Marketing de ótimo custo-benefício

O marketing nas mídias sociais bem feito, não é de graça. É, no entanto, consideravelmente mais barato e inclui depoimentos fiéis e alto índice de feedback dos clientes. Sem falar na possibilidade de segmentação da publicidade on-line somente para o seu público-alvo. Trata-se de um dinheiro bem investido e com grande chance de retorno. E nem vou mencionar as possibilidades de métricas de retorno (ok, já mencionei…).

3. Construção de marcas fortes

Segundo pesquisa da ComScore e do GroupM em 2009, as mídias sociais representam um papel muito importante no quesito de buscas orgânicas e buscas pagas. A taxa de cliques (CTR – o número de cliques no anúncio dividido pelo número de impressões da página de anúncios que aparece quando um bloco de links é clicado, usado no Google no seu programa de Adwords e Adsense) aumenta em 50% quando os consumidores estão expotos a uma marca nasmídias sociais.
Dessa forma, percemos que as mídias sociais afetam positivamente o comportamento do nosso consumidor, e não há nada de mais importante para uma marca do que isso.

4. Tempo real

Outro ponto importante é a rapidez e facilidade de reação nas mídias sociais. É possível apartar crises na hora, como foi o caso do Extra quando veiculou uma propaganda na Copa do Mundo sobre a saída do Brasil – um dia após ele ter ganho as oitavas-de-final. O próprio Abílio diniz entrou em ação através do Twitter, pedindo desculpas e amenizando o problema.
Temos que pesar o lado negativo também, pois se alguém critica a sua marca, muita gente pode ficar sabendo em pouco tempo. Cabe administrar de modo inteligente essa nova possibilidade e adequá-la a cada caso.

@mfernandalp

@contextoweb





Não sabe qual a função de cada rede social?

7 08 2010

por Maria Fernanda Lacerda

Já falamos aqui e aqui sobre alguns cases de utilização das mídias sociais dentro das empresas para gerar tráfego e resultados. Hoje eu gostaria de comentar o infográfico abaixo feito pela Elliance.
A imagem trata de como utilizar essas mídias para a sua empresa e pra quê cada uma dela é melhor. Destaques:

  1. A linha vertical em em azul claro demonstra: TODAS as redes sociais podem ser usadas para promover seu negócio – nunca tire isso de mente.
  2. Atenção para as redes sociais marcadas em azul claro também na horizontal: algumas como Readit e StumbleUpon não são muito conhecidas no Brasil, mas revelam enorme potencial.
  3. A estrelinha representa o core business da rede, portanto, fique atento na hora de segmentar campanhas e promoções.

Atenção para o nosso selo #Comentemais! Queremos a sua participação aqui, se não entender algo ou tiver problemas com o inglês do gráfico, avise que estamos aqui para ajudar a informar a todos.
Abraços e até a próxima!
@mfernandalp





Você usa #hashtags?

5 08 2010

por Ricardo Palma

hashtags

Uma das coisas que as pessoas mais estranham ao começar a usar o Twitter é aquele sustenido (#) seguido de uma palavra. No meu caso, quando criei minha conta no microblog, comecei a seguir diversas pessoas e, passeando um pouco pelo site, eu me deparei com diversos tweets do tipo “@fulano @ciclano @beltrano @RicardoPalma_ #FF”. Achei aquilo algo extremamente sem sentido porém resolvi descobrir como funcionava. Quando cliquei no #FF, fui direcionado para uma página que mostrava todos os tweets com o mesmo assunto, todos no mesmo estilo desse que tinha acabado de ver. Conforme fui usando e descobrindo o Twitter, fui me acostumando com as hashtags e com o funcionamento do Twitter. Outras hashtags interessantes e que sempre surge na timeline são o #nowplaying e o #musicmonday.

E qual a aplicação disso no ambiente empresarial?

As aplicações são várias e existem mil maneiras de utilizar as hashtags. Um bom exemplo do uso delas é o Twitter da Kombo (@vagaskombo), que utiliza a tag #emprego sempre depois de seus tweets. Quando um usuário digita ‘emprego’ no campo de pesquisa, fica bastante evidente nos resultados que os tweets da Kombo se tratam de vagas de emprego e não apenas uma palavra solta dentro dos 140 caracteres.

Um caso bastante interessante do uso das hashtags é o do Banco Itaú, que fez um hotsite em que havia um video com pessoas falando sobre uma empresa, um feed do Twitter que mostrava os tweets com a tag #QueEmpresaEEssa e um aviso de que a empresa seria revelada no dia 31 de julho de 2010 (doquevoceefeito.com.br). Muitas pessoas tentaram adivinhar qual era a empresa e isso se espalhou como viral. No dia em questão foi revelada a empresa (Itaú) e uma surpresa: a campanha era pra divulgar o programa de talentos da empresa. O Itaú, além de conseguir fazer uma comoção geral na rede social, ainda teve muito mais acessos no site de sua campanha do que teria nos modos tradicionais.

Para você que quer saber mais como funcionam as hashtags, #FikDik: hashtags.org. Lá, você pode pesquisar as hashtags existentes e ver um gráfico do uso delas nos últimos dias, além de conferir os últimos tweets em que as hashtags apareceram. Abaixo, um exemplo gráfico com a hashtag #FF:

#FF

@RicardoPalma_ #FF

Já era de se esperar que uma hashtag denominada “FollowFriday” tem seu pico de uso na sexta-feira não é? O que chama a atenção é que tem gente que usa em outros dias da semana…

Eu fico por aqui e, se tiverem alguma dúvida, podem perguntar nos comentários!





Ações em mídias sociais

4 08 2010

Por Maria Fernanda

Tenho acompanhado várias ações em mídias sociais ultimamente, que tem conquistado resultados importantes. Percebo, no entanto, que o público em geral não compreende exatamente o que se pode fazer de relevante no caso de meios digitais como forma de relacionamento com o cliente. Por isso, resolvi dedicar este post a alguns cases práticos do assunto.

Case Try-on

Facebook Try-on

A Try-on começou sua prática nas mídias sociais há apenas três meses, no entanto, a interação já alcançou níveis interessantes. O quê eles fizeram? Veja nos tópicos abaixo:

  • Campanha para o dia dos Namorados voltada à obtenção de seguidores no Twitter, Facebook e blog.
  • O foco era ampliar os canais de comunicação e conseguiram isso através de aumento de 47% no número de seguidores no Twitter e no facebook.
  • 600 pessoas partciparam da campanha ““Qual foi a maior loucura de amor que você já fez?” gerando 758 seguidores no Twitter.
  • Aos vencedores das melhores respostas foram dados pares de tênis e brindes promocionais. Dessa forma, um bom número de pessoas esteve em contato com a marca Try-on e a empresa obteve um custo muito baixo para tal campanha – sendo exatamente esta, a principal vantagem das ações em meios digitais.Para quem se interessou o Twitter da Try-on é @tryonoficial.

Case Camiseteria

Já no caso da Camiseteria , o processo todo é feito pela Web 2.0 – com toda a sua interatividade e possibilidades. Basicamente, os próprios membros da Comunidade da loja enviam desenhos de estampas, votam as melhores e estas são confeccionadas. Os autores dos desenhos ganham prêmios e após a compra, os consumidores mandam suas fotos vestindo as camisetas que compraram para serem utilizadas como modelos pela própria loja.

O modelo foi estruturado em cima dos seguintes pontos:

  • Divulgação única pelas mídias sociais, atingindo justamente o público interessado em interatividade.
  • Pelo Twitter a empresa responde questionamentos, dúvidas dos clientes, divulga promoçõe e ações.
  • Satisfação plena do cliente e, consequente mídia espontânea gerada por consumidores felizes com a compra.
  • Trabalho de manutenção de marca – respondendo a qualquer problema citado na web por clientes insatisfeitos (e estes são bem poucos…)

Modelo da Camiseteria

Sintam-se a vontade para comentar (e obrigada pelo bombardeio de acessos no dia de ontem – todos são muito bem-vindos!)





Foursquare e o marketing por geolocalização

18 07 2010

por Ricardo Palma

Com o aumento do número de usuários de smartphones, surgem diversas ferramentas que tentam explorar suas funcionalidades. Uma muito interessante é o Foursquare. Trata-se de uma rede social parecida com o Twitter, porém voltada para celulares e que o foco é a geolocalização, ou seja, o usuário, cada vez que acessa, faz o check-in e diz onde está no momento. Além disso, é possível dar a opinião sobre o lugar e ver a opinião de outras pessoas que fizeram o check-in naquele mesmo local.

Quanto mais check-ins uma pessoa faz, mais pontos ela ganha, e se o check-in for feito frequentemente em um mesmo local, essa pessoa pode se tornar o “prefeito” desse lugar. Algumas empresas, vendo no Foursquare uma enorme oportunidade de marketing, começou a premiar quem se torna “prefeito” do local. É o caso da Starbucks, nos Estados Unidos, que dá um desconto para quem se torna prefeito.

No Brasil, ainda há poucos usuários, porém, como aconteceu com diversas outras redes sociais, é questão de tempo até a ferramenta emplacar e vermos ótimos cases de empresas brasileiras que utilizaram o Foursquare para alguma ação.

Atualmente, pessoas que possuem iPhone, BlackBerry, Palm e celulares com o sistema operacional Android, podem fazer download de um aplicativo para utilizar o Foursquare. Usuários de Symbiam (como eu) e outros sistemas, podem acessar o endereço http://m.foursquare.com diretamente do navegador.

Neste site há alguns estudos de caso interessantes do uso do Foursquare por empresas em outros países e abaixo uma apresentação explica bem como funciona o Foursquare:

Obs.: Entre os dias 23 e 27 de Julho, eu e a Maria Fernanda estaremos em Paris Buenos Aires e pretendemos fazer um teste com o Foursquare, fazendo o máximo de check-ins possível. Faremos reviews de todos os lugares que ofereçam wi-fi e vamos ver se alguma empresa já faz alguma ação utilizando o Foursquare. Caso queira acompanhar, me adicione: foursquare.com/user/ricardopalma_. Também prometo postar aqui os resultados e manter vocês informados da expansão do Foursquare no Brasil.





E-commerce Fácil

17 07 2010

por Maria Fernanda

Que o e-commerce vem crescendo no Brasil a cado ano todos sabem. Que os brasileiros constituem um das populações do mundo que mais utilizam as redes sociais, também.
Gostaria, portanto, de compartilhar a minha visão de consumidora e alguns pontos que considero vitais para o bom desempenho das lojas virtuais:

  1. Usabilidade: a informação tem de estar no local certo, no momento em que o usuário precisa dela e de forma muito clara. O ideal é que não exista a necessidade de procurar uma determinada informação – ela deve estar a vista.
  2. Atenção para integração entre componentes do site: webdesign, esquema de cores para cada categoria de produtos – estimulando os sentidos humanos, rapidez, entre outros.
  3. Possibilidades de compartilhamento de informações: de forma fácil e rápida através de contatos entre as pessoas, como no caso das redes sociais. Por exemplo, estimular promoções pelo twitter que levem ao site da empresa e integrem a própria promoção lá. Ou seja, a pessoa deve poder acessar suas redes sociais a partir da loja virtual, mantendo o contato com a marca o maior tempo possível – sem migrar para as páginas do Facebook, Twitter e outros.

Para quem se interessa pelo assunto um link interessante é o da reportagem da PEGN, onde pessoas influentes no mundo digital (Sandra Turchi e o presidente do Buscapé, entre outros) avaliam alguns e-commerce brasileiros.