As mulheres nas mídias sociais

23 08 2010

Por Maria Fernanda Lacerda

Que as mídias sociais são a bola da vez todo mundo sabe, mas até que ponto elas atingem cada segmento da população? Foi essa pergunta que a Sophia Mind, empresa especializada em inteligência e pesquisas sobre o mercado feminino, tentou responder com a pesquisa que vamos relatar a seguir.

A empresa mapeou o perfil da mulher brasileira que utiliza as redes sociais: as mais jovens de 18 a 25 anos são as mais assíduas – 97% acessa regularmente algum tipo de mídia social. Veja abaixo outros dados interessantes que a pesquisa trouxe à tona:

  • 90% das mulheres entre 32 e 60 anos afirmaram acessar alguma rede social freqüentemente;
  • O tempo médio de permanência nas redes é de 2 horas (informação que mais me espantou – trata-se de um tempo altíssimo!);
  • Entre as mulheres que trabalham em casa ou não trabalham, o tempo médio de uso das redes é maior;
  • O que elas mais fazem nas redes sociais? Comunicação com amigos/parentes, leitura sobre assuntos de interesse e atualização através de notícias.
  • 75% das usuárias de mídias sociais disseram estar cadastradas no Orkut;
  • Sonico e Facebook, aparecem logo atrás do orkut, respectivamente com 22% e 21% de respostas.
  • O Twittefoi citado por 21% das mulheres entrevistadas.
  • Mais de metade das mulheres já deixou de comprar algum produto devido à comentários lidos nas redes sociais.

As informações acima são de grande valia para as empresas que tem as mulheres como seu público-alvo. É preciso passar uma imagem coerente, satisfazer a maior parte das pessoas e controlar os comentários negativos, caso contrário seu concorrente que fizer a leitura certa destas mídias vai disparar na sua frente

Anúncios




5 Dicas de Gerenciadores de Finanças

22 08 2010

Por Maria Fernanda

Hoje eu gostaria de fugir um pouco do assunto mídias sociais e estratégias de webmarketing, para mostrar algumas ferramentas on-line muito úteis – ou seja, dicas de sites que ajudam a controlar as finanças. Temos que aproveitar a web ao máximo e controlar as nossas economias, afinal elas só dizem respeito a nós mesmos e se nós não cuidarmos, quem cuidará?

Pessoalmente, eu utilizo o Yupee, e gosto muito – mas todos os outros possuem ótimas credenciais.  Depois de testarem dêem suas opiniões aqui! Segue a lista:

  1. Minhas economias – site com interface muito agradável e simples de usar;

    Minhas Economias

  2. Supercontas – portal mais simplificado, mas que atende aos mesmos propósito de organizção financeira;
  3. Contas online – site muito interesse, que disponibiliza tutoriais em vídeo e bastante suporte aos usuários
  4. Manubia – possui versão gratuita e versão premium, com recursos mais avançados.
  5. Yupee – site muito bem organizado, com interface agradável e ttalmente gratuito. É minha opção para uso pessoal!

Yupee

Espero que gostem das dicas!

@mfernandalp

@contextoweb





Empreendemia: a rede de contatos para empresas

21 08 2010

Por Maria Fernanda

O que é Empreendemia? Segundo depoimentos do próprio site, trata-se de:

  • “Rede social unica e exclusivamente voltada para os empreendedores” – Cadu
  • “(..) rede de contatos profissionais em que sua empresa pode organizar os contatos de clientes e fornecedores de forma rápida e simples, conhecer novas empresas e realizar novos negócios (…)” Startupi
  • “O Empreendemia é muito mais do que uma boa idéia e é motivo de orgulho ver o empreendedorismo brasileiro saindo na frente na América Latina. A sinergia e a geração de negócios da rede tende a ser exponencial.” C2C Baloon

Ou seja, é uma rede social que promove encontros  e contatos entre empresários e empresas. Eles tem como objetivos: organizar redes de contatos. promover empresas, trocar cartões de visita e conhecer outros empreendedores.

Cartões de visita: uma sacada muito interessante do site, que promove os contatos através de um cartão de visitas virtual, que serve como apresentação ada empresa – podendo gerar negócios e parcerias.

Considerando o atual patamar de visibilidade da sredes sociais, percebo nesse site uma grande oportnidade para: networking, B2B, negócios e parcerias em geral. A estrégia do site atual é bastante acertada também: divulgação nas mídias sociais e similaes.

Gostei e recomendo!

@mfernandalp

@contextoweb





Cafezinho na loja virtual

20 08 2010

Por que ele não volta no meu site?

Uma das razões pode ser o desinteresse. Vc sabe qual é o tempo médio de um visitante no seu site, o índice de rejeições, a quantidade de páginas visitadas? Todas estas métricas lhe darão dados que responderá a sua pergunta.

Se a sua resposta for:

-Meu site não é interessante para este público.

Mas que público??? Aquele que está naquele portal que vc fez um investimento e não lhe trouxe conversões, ou melhor, nem pagou o investimento.

Para despertar a atenção de novos consumidores a home page de um site precisa estar “piscando” e com muitos “refletores”, caso contrário a escuridão será refletida na baixa conversão de vendas e alcance de metas.

Tendo como ponto de partida que a home é a porta de entrada do negócio, é compreensível dizer que sua casa deve estar limpa e organizada. O consumidor precisa abrir a porta, entrar e tomar um cafezinho enquanto conversa com você, isto é, correr os olhos na home/conteúdo e em alguns segundos entender a mensagem que o seu site quer transmitir = comprar.

Simplificando, todos estes fatores de organização da informação e facilidade na navegação = Arquitetura da Informação & Usabilidade, tema que não saí de moda quando se fala em e-commerce e com todo mérito.

Sim, o consumidor veio de algum lugar e alguma coisa ele quer. Pode ser simplesmente conhecer a loja (Que bom! Demonstra que sua campanha chamou atenção),  apenas pesquisar um item ou exatamente comprar o produto da campanha (Que ótimo! Significa que vc fez a coisa certa) e agora a casa tem que estar limpa e pronta para uma longa visita.

Este consumidor precisa ser bem recebido e encontrar tudo que deseja com muita rapidez e agilidade, não sirva o café gelado. Mesmo que ele não encontre o que buscou esta experiência tem que ficar clara = não encontramos o produto desejado. Não permita que o cliente entre no seu site e saía porque não entendeu nada ou porque perdeu a paciência de navegar entre a lentidão das páginas.

Mas fora aquelas informações “básicas” como: imagens dos produtos, descrições e comentários, ainda tem o preço. Do que adianta investir em mídia e redes sociais se a concorrência tem o melhor preço??? #fail

Segundo dados do Google Varejo (A.L.), os brasileiros estão em 2o lugar no uso de comparadores de preços com 34% e os americanos estão na frente com 39%. Sendo o Buscapé líder nesse segmento.

Se todas estas questões não estiverem bem estruturadas certamente resultará no desinteresse do internauta pelo seu site. Algo bem natural, não?

Planeje bem antes de começar uma campanha, pois resultados em visitas e vendas ela poderá trazer de imediato, mas a longo prazo a chance será bem menor.

Abraços :)

@_RenataReis_

@contextoweb





4 motivos que explicam a eficiência das MÍDIAS SOCIAIS

19 08 2010

Por Maria Fernanda

Primeiramente, gostaria de agradecer o acesso recorde de ontem. Obrigada!

Nosso assunto de hoje é um artigo publico por Sarah Hartshorn no blog americano SocialMediaToday. Adaptei o artigo e fiz algumas modificações. Sintam-se à vontade para corrigir meus erros ou comentar!

1. O ser humano possui uma forte necessidade de interagir com outros seres humanos

A constação acima é um fato, pois essa basicamente é a razão de sucesso das mídias sociais nos últimos anos. As marcas conseguem fidelizar e identificar suas imagens de maneira muito simples e de baixo custo. As pessoas compartilham informações de graça – facilitando o nosso trabalho de análise. Ainda não está convencido? Que tal os dados desta pesquisa então: 4,3% dos usuários do Facebook e 2,3% dos usuários do Twitter saíram dos sites destas redes sociais e foram para o site um grande varejo!

2. Marketing de ótimo custo-benefício

O marketing nas mídias sociais bem feito, não é de graça. É, no entanto, consideravelmente mais barato e inclui depoimentos fiéis e alto índice de feedback dos clientes. Sem falar na possibilidade de segmentação da publicidade on-line somente para o seu público-alvo. Trata-se de um dinheiro bem investido e com grande chance de retorno. E nem vou mencionar as possibilidades de métricas de retorno (ok, já mencionei…).

3. Construção de marcas fortes

Segundo pesquisa da ComScore e do GroupM em 2009, as mídias sociais representam um papel muito importante no quesito de buscas orgânicas e buscas pagas. A taxa de cliques (CTR – o número de cliques no anúncio dividido pelo número de impressões da página de anúncios que aparece quando um bloco de links é clicado, usado no Google no seu programa de Adwords e Adsense) aumenta em 50% quando os consumidores estão expotos a uma marca nasmídias sociais.
Dessa forma, percemos que as mídias sociais afetam positivamente o comportamento do nosso consumidor, e não há nada de mais importante para uma marca do que isso.

4. Tempo real

Outro ponto importante é a rapidez e facilidade de reação nas mídias sociais. É possível apartar crises na hora, como foi o caso do Extra quando veiculou uma propaganda na Copa do Mundo sobre a saída do Brasil – um dia após ele ter ganho as oitavas-de-final. O próprio Abílio diniz entrou em ação através do Twitter, pedindo desculpas e amenizando o problema.
Temos que pesar o lado negativo também, pois se alguém critica a sua marca, muita gente pode ficar sabendo em pouco tempo. Cabe administrar de modo inteligente essa nova possibilidade e adequá-la a cada caso.

@mfernandalp

@contextoweb





Notícias Digitais: Twitteiros famosos e produtos a R$ 1,50

18 08 2010

Por Maria Fernanda

Vamos dar continuidade ao nossoo objeto de fornecer informação de qualidade, bem como fizemos neste outro post. Para isso, selecionei três notícias recentes que contextualizam como os negócios tem sido feitos nessa era digital. Espero que gostem!

17/08 – Motorola patrocina Twitteiros famosos

Para divulgar seu novo aparelho, o Motoblur, a Motorola contratou três twitteiros com muitos seguidores (@OCriador, @HugoGloss e @bomdiaporque). Juntos, esses três personagens do mundo virtual são seguidos por quase 1 milhão de pessoas.
A idéia é que eles postem a partir do celular mencionado acima, e que a mensagem “Enviado a partir do meu Motoblur” apareça para seus seguidores, divulgando o produto e a marca. FONTE: BAGUETE

@ocriador

12/08  – Vendas de smartphones crescem 50% no 2º Trimestre de 2010

Foram 63 milhões de smartphones comercializados no mundo, no segundo bimestre, contra 41,9 milhões no mesmo período do ano passado. O site Baguete atribui o aumento expressivo às vendas de telefones com sistema Android. A fabricante Nokia lidera a lista dos fabricantes deste aparelhos, seguida por Blackberry, HTC e Apple.
É importante verificar o valor desta informação para as ações de promoção e estratégia mobile. Precisamos atentar para essa necessidade o quanto antes, pois a concorrência já percebeu a utilidade deste meio. FONTE: BAGUETE

13/08/ – Magazine Luiza vende produtos a R$ 1,50 pelo Twitter.

A Magazine Luiza, que recentemente comprou as Lojas Maia, propôs uma nova ação a ser feita pelo Twitter: o perfil institucional da empresa postará tweets contendo a hashtag #liquitter e sem nenhum texto adicional(@magazineluiza). O primeiro seguidor a adivinhar qual o produto em promoção ganhará o direito de comprá-lo por R$ 1,50.
A compra será feita através da Televendas da rede e o ganhador, receberá uma direct messge lhe avisando de sua sorte.Para facilitar, a empresa postará dicas que conduzam os consumidores a acertar.
É uma bela proposta. Cabe analisar se, na prática, não vai acarretar consumidores frustrados pela dificuldade de adivinhar ou pelo produto “surpresa”. FONTE: Mundo do Marketing

Twitter da Magazine Luiza

Um bom dia a todos!
@mfernandalp
@contextoweb





E-COMMERCE: Balanço do 1º semestre de 2010

17 08 2010

por Renata Reis

Bom dia!!!

Sou a nova colaboradora do Contexto Web e estou aqui para abrir o post e falar um pouco mais sobre e-commerce com vcs.

E já vamos começar com informações super atualizadas do setor. Boa leitura a todos!

O que é o WebShoppers?

web shoppers

O WebShoppers é uma iniciativa da e–bit e tem como objetivo buscar informações sobre o comportamento de compras dos internautas brasileiros e sua relação com o e-commerce, demonstrando em números toda a evolução do comércio eletrônico nacional. O WebShoppers está em sua 22ª edição.

Mas quem é a e-bit?

Presente no mercado desde janeiro de 2000, a e-bit se tornou uma empresa especializada em informações sobre o comércio eletrônico brasileiro.

Então vamos ao resumo do cenário do comércio eletrônico no 1º semestre de 2010.

  • O e-commerce brasileiro cresceu 40% no 1º semestre se comparado ao mesmo período de 2009, atingindo faturamento de R$ 6,7 bilhões e tíquete médio de R$ 379. Para o fechamento de 2010, a expectativa é que o faturamento deva chegar a R$ 14,3 bilhões.
  • Até o primeiro semestre de 2010, foram 20 milhões de pessoas que compraram pela internet ao menos uma vez. Até o final do ano, esse número deverá alcançar 23 milhões.
  • As categorias de produtos mais vendidas no 1º semestre do e-commerce em 2010 foram: Livros e Assinaturas de Revistas e Jornais, Eletrodomésticos, Saúde, Beleza e Medicamentos, Informática e Eletrônicos.
  • A Copa do Mundo alavancou o faturamento no 1º semestre de 2010 com a venda de TVs de tela plana e Artigos Esportivos.
  • O e-consumidor está cada vez mais seguro e confiante em realizar compras via web. O índice de satisfação dos consumidores brasileiros com o comércio virtual atingiu 86% no primeiro semestre.
  • Cerca de 55% dos e-consumidores que fizeram uma compra pela internet proveniente de uma rede social são mulheres.
  • Quando se diz respeito à idade, os compradores provenientes de redes sociais são, em média, 7 anos mais jovens que os compradores do mercado: 34 contra 41 anos.
  • Quando analisamos as categorias preferidas dos e-consumidores provenientes de redes sociais, Moda e Acessórios aparece como destaque, com cerca de 20% do volume transacional.
  • De acordo com dados levantados na Pesquisa de Resistência a Compra, dos e-consumidores que visitaram sites e decidiram não comprar nenhum produto, 62% disseram ter consultado preço, valor do frete ou o custo total do produto, além de ter procurado por promoções e descontos.
  • Dos entrevistados, 86% disseram que apenas olharam alguns itens e saíram da loja, não chegando a começar o processo compra. Já 14% disseram que deram início ao processo de compra, mas acabaram não concluindo o procedimento.

Confira também o vídeo do Diretor Geral da e-bit, Pedro Guasti:

Abraços :)

@_RenataReis_

@contextoweb